11/12/09

A DIFERENÇA QUE HÁ

.


.

A diferença que há entre os estudiosos e os poetas
é que aqueles passam a vida inteira com o nariz num assunto
a ver se conseguem decifrá-lo, e estes
abrem um livro, lêem três páginas, farejam as restantes
[nem sequer todas] e sabem logo do assunto
o que os outros não conseguiram saber. Por isso é que os estudiosos têm raiva dos poetas,
capazes de ler tudo sem ter lido nada
[e eles não leram nada tendo lido tudo].
O mal está em haver poetas que abusam do analfabetismo,
e desacreditam a gaya scienza.

1.02.1972

Jorge de Sena
in Visão Perpétua


[Pela 3ª vez n'aluaflutua.
Há dias em que estas palavras me fazem, ainda, mais sentido]




_ D. Shostakovich
Jazz Suite nº 1 - Polka


Imagem - TINTA AZUL. 21.11.09
Música - YouTube.imusiciki

5 comentários:

Albino M. disse...

Ó catraia, difernaça?
Abc.
Bom Natal

Tinta Azul disse...

AM
Obrigada pela correcção.
Bom Natal, também!

heretico disse...

não conheço a razão dos teus dias.

mas as palavras do poeta fazem todo o sentido. todos os dias...

beijo

Ramiro Conceição disse...

SONHO DE UM CADÁVER
by Ramiro Conceição


Quando teu olhar vestiu-me, soube
que não poderia mais... despir-me;
foi tal qual um mar a batizar-me,
dando-me um verdadeiro nome.
Agora padeço de uma sina:
te perder na curva da’squina
e tornar-me o sonho de um cadáver
que dorme... quando a alma some.

Tentativas disse...

Olá,

Há quanto tempo que vinha até aqui.
E quanto percebo que perdi.
Li e reli. Tentei ficar indiferente e não consegui, voltei.
Palavras que ensurdecem a razão.

beijos