19/02/10

O PODER DO ARCO-ÍRIS

.


.

A manhã apresentou-se vestida com um grosso sobretudo de neblina fria e cinzenta.

O Sol, depois de aturadas negociações com as nuvens, conseguiu brilhar no azul e aquecer a alma do dia. [Que o corpo, já se sabe, não aquece. Estamos no Inverno, não é?]

A tarde, já quase no fim, cumpriu o acordo que tinha com a chuva. Deixou-a cair, sem a ter, sequer, anunciado. [Também não era preciso, acabamos sempre por contar com ela, certo?]

Inesperado, inesperado, foi o arco-íris. Apareceu, simplesmente, com a magia das suas cores. Sem negociações nem acordos.

Guardei-o. Muito bem guardado.

[O arco-íris faz-me muita falta, sobretudo nos dias em que a Associação dos Azuis Celestes não consegue chegar a acordo com o Ministério da Chuva e das Nuvens Extremamente Cinzentas.]



Somewhere Over The Rainbow
Violoncelo -
Rylan Gajek

Fotografia - [De passagem]. Tinta Azul. 19.02.10
Música - YouTube. gajek1

7 comentários:

João Menéres disse...

Excelente imagem feita dentro do carro!
Eu estava na Foz, mas sem máquina...

Um beijo.

heretico disse...

um pouco de Utopia, precisa-se! SIM!

belíssimo. imagem e texto.

beijo

mdsol disse...

Bem bonito

:))

O meteorologista disse...

E sabes o que eu fiz?
Também guardei o inesperado.
Lindo.
...
Mas tenho más notícias para vos dar:
A Associação dos Azuis Celestes ,
abandonou hoje a Mesa das negociações com o Ministério.
O Acordo estará mais distante.
Ainda não foi nesta ronda negocial, que a chuva e o cinzento cederam...

Ramiro Conceição disse...

Lua,
teu post me fez lembrar das cores. Então...


POEMA VERMELHO
by Ramiro Conceição

Degustar
O gomo
vermelho
do beijo.
Amanhece.

Trabalhar
o campo
do coração
da Vida,
e pensar-sentir
as flores
que Tu, Sol,
nos deste.
Anoitece.

Criar
beijos
(amor)
vermelhos,
e dormir
qual faz
em paz
o pássaro
que tece
encânticos.
Amanhece.


POEMA AMARELO
by Ramiro Conceição

Brincar ao meio-dia,
ao meio-dia da vida,
e ter asas,
Ásias, Áfricas,
mas não súditos.

Dos pincéis lívidos:
uma aquarela mágica
da solidão de Rilke.
Da cores:
O amarelo de Van Gogh
à Via Láctea.


POEMA AZUL
by Ramiro Conceição

Quando se aparta pra sempre um artista,
o azul é macerado do vermelho-amarelo
feito sonho da estrela cadente que chispa!
e some de repente qual último canto triste
ao vento, sabendo do derradeiro encanto:
cisne.

Lília disse...

Que imagem e texto lindos...
Eu sou doida por Arco-Íris (nos m/workshops desenvolvo até o conceito do arco-iris como a alquimia da "chuva" na vida) Era impensável nao vir ver o "poder do arco-iris!" Muito obrigada pela partilha. Este, nao o vi. Só os do início deste ano e do q passou - tb os vistes? E, é como dizes: uma imagem poderosa de união/esperança e protecção.
Que nunca percamos a capacidade de ver os Arco-Íris na vida!
Carinho e sorrisos

JanuskieZ disse...

Hi... Looking ways to market your blog? try this: http://bit.ly/instantvisitors