11/12/10

O TEATRO DAS CIDADES

.




.

Qualquer tempo é um tempo duvidoso
assim o meu cercado de cidades
plataformas instáveis
praticáveis cobertos de infinita gente náufraga
que se inclina nas águas como um palco

Paro na convergência dos estrados
chove já sobre a raça ameaçada
Incertas multidões em volta passam
contemporâneas falam interpretam
a duvidosa língua das imagens

Assim no teatro abstracto das cidades
morrem palavras sobre um palco náufrago

O tempo cobre o céu que se enche de água


Gastão Cruz, in O Pianista



- R Schumann
Sonata nº 2 [1º andto]
Violino - Renaud Capuçon
Piano - Martha Argerich



Fotografia - Tinta Azul.9.12.10
Música - YouTube

3 comentários:

heretico disse...

gosto deste "teatro" de água. e de mágoa...

beijos

Eduardo P.L disse...

Gostei das cadeiras aí do ladinho!!!

llq disse...

Possibly the most amazing blog that I read all year vintage wedding!?!