02/06/12

HINO A RAZÃO

.


.


Razão, irmã do Amor e da Justiça,
Mais uma vez escuta a minha prece.
É a voz dum coração que te apetece,
Duma alma livre só a ti submissa.

Por ti é que a poeira movediça
De astros, sóis e mundos permanece;
E é por ti que a virtude prevalece,
E a flor do heroísmo medra e viça.

Por ti, na arena trágica, as nações
buscam a liberdade entre clarões;
e os que olham o futuro e cismam, mudos,

Por ti podem sofrer e não se abatem,
Mãe de filhos robustos que combatem
Tendo o teu nome escrito em seus escudos!


Antero de Quental
in Sonetos


- Fazil Say
Kara Toprak [Terra Negra]
Piano - Fazil Say


Fotografia - Tinta Azul.15.05.12
Música - YouTube

4 comentários:

João Menéres disse...

Grande Soneto, Regina !

A imagem é o buraco onde nos encontramos ?


Um beijo.

Miosotis disse...

Poema de Antero que poderia ter sido escrito nos tempos que atravessamos...

Um poeta-filósofo de grande dimensão humana que, por isso mesmo, viveu e morreu atormentado! Alma grande!

Bom domingo!

João Menéres disse...

Que pena teres abandonado o blogue, Regina !
Talvez o Fb te dê menos trabalho, não é ?
Ms, NÃO É A MESMA COISA !
Blogue tem conteúdo e ALMA !

Um beijo.

Duarte disse...

A arte de fazer sonetos. Gosto.
Tinha saudades.
Besos