19/05/11

COM FÚRIA E RAIVA

.


.

Com fúria e raiva


Com fúria e raiva acuso o demagogo
E o seu capitalismo das palavras

Pois é preciso saber que a palavra é sagrada
Que de longe muito longe um povo a trouxe
E nela pôs sua alma confiada

De longe muito longe desde o início
O homem soube de si pela palavra
E nomeou a pedra a flor a água
E tudo emergiu porque ele disse

Com fúria e raiva acuso o demagogo
Que se promove à sombra da palavra
E da palavra faz poder e jogo
E transforma as palavras em moeda
Como se fez com o trigo e com a terra


Sophia de Mello Breyner Andresen
in O Nome das Coisas



- C V Alkan
Étude - Op 39 nº3
Scherzo Diabolico
Piano - Bernard Ringeissen



Fotografia - Tinta Azul.20.11.10
Música - YouTube

2 comentários:

Selena Sartorelo disse...

Olá Regina,
Li esse poema há um ou dois dias atrás. Palavras que não saem do pensamento quando é esse por muito tempo o verdadeiro sentimento.

Preciso e suficiente.

Beijos

heretico disse...

que a Palavra se imponha. como sarça ardente...

beijo