04/12/06

UM SISTEMA COMPLEXO PARA LINHAS SIMPLES

.

Já não suporto a complicação que é o sistema de tarifas do Metro do Porto. Não me considero diminuída mental e confesso que tenho dificuldades para perceber a engrenagem.
Não é que tenha conhecimento de muitos Metros no mundo, mas já andei no de Lisboa, Barcelona, Paris, Estocolomo e Praga e nunca senti qualquer problema, mesmo em países onde não percebia uma palavra da língua.
No Porto é tal a complicação que parece ser preciso uma pós-graduação em Metroportologia!
Há coisas que não têm qualquer lógica. Ele é C1 C2... Cn mais Z2 e Z3 ... para se andar na Z2 [zona2] que corresponde a um C qualquer, é preciso um cartão andante, para a Z3, outro e se quiser Z4 é preciso comprar outro, ainda.
O passe, mesmo pago adiantado até ao final do mês, exige a validação em cada viagem. As máquinas ora aceitam multibanco e notas, ora não.
Muitas estações encharcaram-se com a chuva. Outras, mesmo sem chuva estão sempre encharcadas.
Os arranjos junto às estações duram duram duram, põem canteiro, tiram canteiro, fazem, desfazem...Enfim...parece que bom bom no Metro do Porto só os ordenados dos administradores executivos...ou não?

2 comentários:

GP disse...

É o paradigma do simplex...

Tinta_Azul disse...

é um simplex super complicadex...