24/07/07

HOJE

.


















REMOS


Uma das coisas que aprendi muito cedo ainda foi a remar.
De modo a conjugar o som dos remos a cortarem a água

com o bater do meu coração.

Aprendi primeiro a remar contra a corrente. E agora não sei - nem ouso - remar de outra maneira.


Jorge de Sousa Braga
in o Poeta Nu


Porque hoje apetece-me dizer, mesmo sabendo de antemão que muitas vezes de muito pouco vale o esforço, que continuarei a remar contra a corrente, sempre que se justifique, porque... não sei, nem ouso, remar de outra maneira.


Imagem - Fotografia manipulada. Composição. TINTA AZUL. 2007

1 comentário:

MNN disse...

Tens é a força da pequena gota de água que pinga que pinga sobre a forte rocha :)