21/03/08

DIA MUNDIAL DA POESIA

.





Mar Português


Ó mar salgado, quanto do teu sal
São lágrimas de Portugal!
Por te cruzarmos, quantas mães choraram,
Quantos filhos em vão rezaram!
Quantas noivas ficaram por casar
Para que fosses nosso, ó mar!

Valeu a pena? Tudo vale a pena
Se a alma nao é pequena.
Quem quer passar além do Bojador
Tem que passar além da dor.
Deus ao mar o perigo e o abismo deu,
Mas nele é que espelhou o céu.

Fernando Pessoa, in Mensagem


Imagem - Fotografia. TINTA AZUL.Lisboa.18.03.08

3 comentários:

Anónimo disse...

E como hoje é dia da poesia lembremos também os poetas menores.


"Quando busco um caminho, ou um destino" MANUEL ALEGRE



É na minha casa que esbarro
Nas sombras dos muros que
caídos
Me lembram a vida que passa
Nos cheiros do jardim
Na terra molhada
Nas flores que desfolham
e vão caindo
No pedaço de lua
que apanho
pelo canto da janela
do meu quarto
O luar
cobre os meus espaços
E os móveis
E tudo que me olha
são caminhos
que fazem meu destino
se cumprir
Mas sempre nela esbarro

"Quando busco um caminho ou um destino"


(Casa do Outeiro-2002)

vadia

mariadosol disse...

o FP POETA maior fingidor... como bem define na primeira quadra da Autopsicografia

o poeta é um fingidor.
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente.
...

Tinta Azul disse...

Obrigada a ambas :)