27/04/08

SHOSTAKOVICH - VALSA Nº 2



Sempre que ouço esta Valsa apetece-me dançar.

7 comentários:

mariadosol disse...

E a música é uma festa!
Que boa lembrança a tua
:))

Fernando Vasconcelos disse...

É uma grande composição sem dúvida. Não gosto especialmente do Rieux ... reflecte pouco o espírito da composição. Vejam por exemplo aqui algo de mais próximo do pretendido por Shostakovich:
http://www.youtube.com/watch?v=bKRNNe9vnIw

mariadosol disse...

Sem que eu entenda além do meu simples gosto, parece-me que a "interpretação" sugerida pelo Fernando Vasconcelos é mais séria. A do post é mais "brincalhona"... será?
(claro que poderia substituir os termos por ortodoxa e heterodoxa... digo eu... que pouco sei)

Fernando Vasconcelos disse...

Sim MariadoSol é isso. Eu não tenho nada contra as interpretações "brincalhonas" desde que se saiba que o são ... Há espaço para tudo e a brincadeira é muito importante para a divulgação de um tipo de música que não é fácil.

Tinta Azul disse...

Caro Fernando Vasconcelos,
O seu comentário foi muito pertinente. De facto, esta versão é ligeira...se assim se pode dizer. Escolhi-a por ser mais "festiva" e em termos de imagem mais apelativa. Concordo plenamente consigo quando refere "...as interpretações "brincalhonas" desde que se saiba que o são..."

Tenho uma grande admiração por este compositor, personagem, para muitos controverso, que não deve ter tido vida fácil enquanto criador, considerando o contexto em que viveu.
:)

Fernando Vasconcelos disse...

Eu também admiro imenso Shostakovich. Confesso que pensava não gostar muito até há pouco tempo altura em que na Gulbenkian tive oportunidade de ouvir o primeiro concerto para violino. depois ouvi o concerto para violoncelo e agora é um dos compositores que mais aprecio. Nem sempre fácil de ouvir. Sim na verdade teve uma vida dificil, muito angustiada. A filha diz que isso se nota na música dele e eu concordo. Esta valsa é das poucas onde se pode dizer que essa caracteristica sombria está completamente arredada embora mesmoa assim ... Obrigado a confessar "formalismo", seja o que isso fôr, no tempo de Estaline, forçado a compor música em série para filmes soviéticos, como criador não foi fácil ...

vbm disse...

:)