15/12/08

OSCAR NIEMEYER FAZ HOJE 101 ANOS

.





























































[...] estou convencido que um arquiteto não deve se limitar à aprendizagem de seu métier. Ele deve ter uma cultura geral, ler os clássicos, os escritores contemporâneos, para melhor compreender seu ambiente cultural. [...] eu sempre pensei que um arquiteto de talento deve saber desenhar e escrever. Ele não poderá fazer nada de grande ou de belo se não possuir essas duas qualidades. A terceira é a imagem; logo, a negação de regras. Oscar Niemeyer

No dia em que Oscar Niemeyer faz 101 anos, a memória de um dia fabuloso que começou no Rio de Janeiro passando por Niteroi, Camboinhas e muitos outros lugares belíssimos.
Entre as memórias deste dia consta, também, um pequeno-grande episódio de contornos peculiares, relativo a um acidente à saída do Rio, que dava muito que contar e por isso fica para outra vez, se calhar.

Apesar de já ter visto o Edifício do Museu de Arte Contemporânea em várias fotografias, quando cheguei perto, revelou-se-me uma extraordinária surpresa. Beleza, elegância e arrojo. Foram estas as palavras que me vieram, instantâneas, ao pensamento. Contemplei-o de todos os ângulos que pude. As famosas curvas. O famoso vermelho. Que bem combina com o branco e a cor do mar. Encantei-me. Encantada, fotografava, fotografava.
Ficam quatro olhares, dos muitos, que trouxe do MAC de Niteroi. Uma fantástica obra de arquitectura de Oscar Niemeyer.


__Heitor Villa-Lobos
Prelúdio nº2
por John Williams


Fotografias - TINTA AZUL. 24.08.08
Música - YouTube

6 comentários:

vbm disse...

Outro, que também fez cem anos agora em Dezembro, foi Claude Lévy-Strauss, o famoso antrópologo dos "Tristes Tropiques" que França terá festejado com a mesma solenidade do Brasil, o ano passado ao Oscar Niemeyer e nós este ano, ao Manoel de Oliveira!

:)

Tinta Azul disse...

Que trio de centenários!

:))

mdsol disse...

Olha e não é para...mas já fui feliz aí várias vezes!
:))

Ramiro Conceição disse...

PLANTAR BATATAS
by Ramiro Conceição


O ato de criação é tal qual plantar batatas,
mostrando aos pequeninos a cantiga antiga
da “batatinha quando nasce...” junto com
“ Os Semeadores de Batatas ” de Van Gogh.
Deste modo, ao chegar o tempo da colheita,
onde a tristeza encolhe e a alegria é feita,
deve-se colher batatas, qual Dante
e seu Mentor, até no reino do terror:
porque no seio da estrela está o esplendor.

Ramiro Conceição disse...

Tinta,
deu "pau" na formatação do poema.

heretico disse...

"Beleza, elegância e arrojo...". quem diria melhor?!...

gostei tanto!

beijos