02/01/09

TERRA MANINHA - MIGUEL TORGA

.















Terra Maninha

Se é um poema fraterno que pedis,
Arrancai-o de mim, escavando-lhe a raiz,
E plantai-o no vosso coração.

Nunca pegou nenhum? Tão infeliz
Era o terreno da plantação!


Miguel Torga
in Poesia Completa
Ed. D. Quixote, 2000



___El Desierto - Lhasa de Sela


Fotografia - TINTA AZUL. 27.03.08

11 comentários:

vbm disse...

A Lhasa de Sela, conhecia-a aqui, por ti, no seu/teu "De cara a la parede", extraordinário! Mas, ela parece a Bjorg, no vídeo! Este "Desierto" ainda tenho de o ouvir, com vagar. Quem é esta Lhasa de Sela!?

Tinta Azul disse...

vbm,
Vai aqui sff
http://lhasadesela.com/

Só conheço dois cd's dela
vê aqui:
http://aluaflutua.blogspot.com/2007/10/lhasa-de-sela.html

:)

OnlyMe disse...

Às vezes, os nossos corações estão tão fechados aos outros, que dificilmente alguém consegue penetrar!
Jinhos :)

Skywalker disse...

Muitas vezes a vida faz com que o coracao se feche.
Beijokas

vbm disse...

O mundo real da arte é tão mais amplo e surpreendente do que o propagandeado pela indústria e comércio audiovisual! Familiarizar-me-ei com a notável Lhasa de Sela. Obrigado. Mas sobre a "La llorona" tenho uma vaga reminiscência de a conhecer, ou a canções similares mexicanas, na minha remota infância, a par da omnipresença do tango, da Amália Rodrigues e, claro, do futebol também, em que o Porto perdia sempre, além do hóquei em patins, em que Portugal ganhava sempre o torneio de Montreux! :)

Ramiro Conceição disse...

ESPIRAIS AZUIS
by Ramiro Conceição

Que estragos fiz a mim?
Quantos anos já perdi?
Tudo aconteceu para romper um muro.
Mas que ironia: há outro, atrás, escuro!

Será que ao Artista resta somente um labirinto
para criar urgentemente e dizer “penso-sinto”?
Para que tal talento acima da vontade
se, afinal, não há definitivas verdades?
Seria tão mais fácil crer nos Evangelhos
e, seguro, nascer de velho… Mas não!
A Vida me quis lúcido!

Ai de mim…
que vivo entre abocanhadores
da felicidade em supermercados!
Ai de mim…
que amei
fulana, sicrana e beltrana!
Ai de mim… que acreditei
nas espirais azuis
de Mário Quintana!

vbm disse...

«Ai de mim…
que vivo entre abocanhadores
da felicidade em supermercados!»


:))

vbm disse...

É muito belo, lua azul!
Divulguei-o.

«He venido al desierto pa reírmede tu amor
Que el desierto es más tierno y la espina besa mejor

He venido a este centro de la nada pa gritar
Que tú nunca mereciste lo que tanto quise dar

He venido yo corriendo, olvidándome de tí
Dáme un beso pajarillo, no te asustes colibrí

He venido encendida al desierto pa quemar
Porque el alma prende fuego cuando deja de amar»

vbm disse...

Impressionante, também,
o poema de Torga!

E é bem uma observação
merecida aos que, insistentes,
mendigam gratuíta compreensão.

vbm disse...

Continuo encantado com a Lhasa de Sela! :) Esta semana, no Porto, na Fnac de Santa Catarina procurei-lhe os CD's... Lá tinha a menção dos dois que indicaste, mas só disponíveis no Norte Shopping. Adiei. :(

Tinta Azul disse...

Eu vi-os, precisamente, no Norte Shopping há dias.

:)