18/09/07

BACH TO CUBA

.
Depois de Bach to África, Bach to Brasil, agora Bach to Cuba.
Os concertos de Brandemburgo com sonoridades cubanas. Interpretado pela Orquestra Sinfónica de Tenerife, sob direcção do compositor Emilio Aragón.
Uma mistura muito interessante.
Recomendo. Porque gosto muito, não só do ponto de vista [de ouvido] musical, mas, também, do ponto de vista simbólico.

[Ver posts de 4.11.2006. Bach com música africana, Bach com música brasileira, Vivaldi com música celta e Mozart com música egípcia].

9 comentários:

MNN disse...

bahhh :)

CHIC-HANDSOME disse...

good week

http://www.myspace.com/jamesee16

Tinta_Azul disse...

mnn
Não é bahhh é BACH! :))))

Ch disse...

Interessei-me especialmente por Vivaldi com música celta...deve ser muito instigante.
...
Ah, embora tenha perdido a postagem anterior, quero dizer adoro a poesia de Herberto Helder. Gostei muito de vê-la por aqui.
Abraços do
Carlos

rui disse...

Ainda não tinha visto este disco senão já o tinha comprado. Tenho todos os discos que referiu e ainda o vol. 2 do Mozart in Egypt.
Esta fusão começou no jazz com os swingle singuers e o Jacques Loussier trio dos quais também tenho todos os discos. Adoro bach e a versatilidade única da sua músia.

obrigado pela descoberta. Vou ainda hoje à FNAC.

Cumprimentos,

rui

Tinta_Azul disse...

E eu também agradeço e irei u destes dias à FNAC comprar o vol. 2 do Mozart no Egipto.
Obrigada Rui.
Abraço

MNN disse...

...o meu bahh não foi por causa do Bach.
As únicas misturas que não estragam os misturados são o gin e a água tónica e o leite com café.
Já agora, porque não fabricarem Vinho do Porto em mix com cachaça?
Deveria ser um "must", tal qual o Fidel Bach.
...BAHHHHHHHHHH !

Tinta_Azul disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anónimo disse...

Muito interessante este cd. Recomendo para os que gostam deste tipo de "criatividade" o cd de Miriam Mendez (pianista espanhola)- Bach Flamenco, que é realmente uma jóia. Outra indicação é Uri Caine e a sua fusão do jazz com Mozart.

Abraços brasileiros a todos.