31/05/08

...ESCULTOR DE UM GRÃO DE AREIA

.


Se um dia cá voltasse gostaria de ser água do mar,
ser sal cristalizado na rocha,
ser escultor de um grão de areia,
ser um fluido que abraça o mundo,
ser uma imensidão para o olhar,
ser um rugido louco que embala,
ser um jardim opaco de árvores sem raiz,
ser o tudo ou nada onde as melancolias vão sonhar,
ser a consciência de quem navega ou flutua,
ser a arca venerada para um corpo de alma que dele desistiu,
se um dia cá voltasse gostaria de ser água do mar.


MNN in Carruagem de Metro
Corpos Editora. 2007


Imagem - Fotografia. Tinta Azul, 27.04.08

6 comentários:

Justine disse...

Das palavras desprende-se a força de um desejo, da foto a nostalgia do fim de um movimento.
Belíssimo

mdsol disse...

Oooops!
:)

Duarte disse...

Bonito, muito bonito...

Por breves momentos voltei a Angeiras.

Tudo o que descreves está ali.

Quando voltares estarei ali para contemplar-te.

Beijinhos do mar.

Multiolhares disse...

penso que é uma escolha que muitos de nós gostariamos
pelo menos os que são apaixonados pelo mar

um Ar de disse...

Poema e imagem
em contra-ponto...

Os autores, também.
:)

Gosto muito
dos dois
assim
e
também
nestes duetos
nestes duos
em uníssono...

[Beijo x dois]

herético disse...

se um dia... eu fora! seria apenas.

gostei muito do poema!