02/06/08

ATÉ AMANHÃ

.

Hoje não sei dizer as cores do anoitecer. Nem sequer onde me anoiteceu. De olhos fechados, em andamento, numa tentativa vã de repor um sono que me faz falta.
Amanhã acordarei na cidade onde a luz me deslumbra. Levantar-me-ei cedo. Quero ver as cores da manhã. Antes de me fechar de olhos abertos num dia que promete cansar-me. Talvez me canse muito. Talvez nem me importe com isso. Se valer a pena.
Boa noite.

Imagem - Fotografia. Tinta Azul. 2008

9 comentários:

Justine disse...

Que a cidade não te seja hostil, e te compense com a cor dos jacarandás...

Duarte disse...

Esse lilás que ela gosta, pelo menos me pareceu assim, querida Justine.

Ia entrar por aí, tu antecipaste-te, coisas da transmissão dos pensamentos, mas prossigo.

No teu constante deambular é de esperar que desejes aborrecer-te. Durante algum tempo passou-me algo parecido, por isso entendo esse desejo intenso de parar; com isso, pois parece-me que es dos que não param nunca.
A natureza surpreende-nos diariamente com infinidade de matizes, para que, se queremos, os possamos imortalizar: como tu tão bem o fazes.

Anónimo disse...

Já está tudo dito.Resta-me mandar-lhe uma mão cheia de flores de jacarandá-árvore que muito gosto.Tenho visto estás árvores no apogeu da sua floração em ´países que tenho visitado e digo-lhe que essas imagens me ajudam a ultrapassar os momentos menos bons.Tudo se torna tão pequeno!

hoje vadiando pelas imagens

um Ar de disse...

Como te entendo...
Espero que valha a pena.

[Beijo muito cansado]

mariam disse...

quotidianos
rotinas
olhares
nascentes e poentes

muito bonito

um sorriso :)

GP disse...

Querida
Espero que esteja tudo a correr bem... Já acaba amanhã, não é?
Põe o sono em dia que temos que marcar um almoço.

Beijinho

scaramouche disse...

"Amanhã acordarei na cidade onde a luz me deslumbra."

e saberás dizer as cores:)

gostei.

scaramouche.

herético disse...

valeu a pena? espero...

um Ar de disse...

Que "até amanhã" tão longo!...
Ainda bem que valeu a pena... o cansaço... a distância... o "tempo"...

[Beijo de saudade, sempre]