15/10/07

NA MEMÓRIA

.

















































































Há semanas.
Que não piso este chão cheio de folhas secas.
Que não passo por este tojo envolto numa seda fina e translúcida.
Que não olho o mar através destes pinheiros, enquanto caminho.
Que não me sento, para descansar, nas rochas à beira destas ondas vigorosas.
Que não vejo as gaivotas a voar neste céu tão azul.

Há semanas.
Que o tempo não me dá tempo.

Há semanas.
Que não piso, não passo, não olho, não me sento, não vejo.

E, no entanto, piso, passo, olho, sento-me e vejo.


Fotografias - TINTA AZUL, Montedor, Setembro 2007

1 comentário:

Um Ar De... disse...

E eu a massacrar-te com um SMS piegas...
Até eu tenho saudades desse chão que não pisas, embora pises, passes, olhes, te sentes (em bancos de comboios, certamente)e, felizmente, continues a ter uma enorme sensibilidade para ver, mesmo que sejam outros lugares.
Descansar é que não me parece que consigas.
Um bj grande