27/10/07

ROCHAS

.






































































Rochas que deixam adivinhar losangos que o tempo, ainda, não teve tempo de esculpir.
Rochas plantadas em areia clara.
Rochas que parecem velhas com xailes pela cabeça, a caminho duma missa de sétimo dia.Rochas que lembram camelos a descansar depois duma longa caminhada no deserto.
A dureza e resistência das rochas, face à erosão contínua.
A leveza e suavidade duma pequeníssima pena branca, de gaivota, que flutua numa minúscula laguna de água salgada, entre a luz e a sombra.
A força e a fragilidade.
A luz e a sombra.
A beleza da coexistência.


Fotografias. TINTA AZUL. 2007.

1 comentário:

Elaine disse...

Perfeito!