28/09/08

CONCERTOS E DESCONCERTOS

.




















Faz hoje, precisamente, 4 anos escrevi este texto. Como, infelizmente, o considero actual, reponho-o no dia em que a Orquestra APROARTE actuou no Coliseu do Porto e no dia em que se realiza no CCB a 2ª Edição dos 1001 Músicos, onde muitas orquestras juvenis já actuaram e, onde, outras, ainda, vão actuar.
Veremos os telejornais. Gostava, contudo, de ser agradavelmente surpreendida. Gostava de poder ter notícia, já que este ano não pude estar lá...

Concertos e Desconcertos

Foi notícia nos telejornais das 20 horas, do dia 28 de Setembro deste ano da graça de 2004, em pelo menos dois canais de televisão, o “desentendimento” entre dois jogadores do Benfica, durante um treino. Nem sequer um jogo! Um treino mesmo!
Não tive, contudo, notícia em nenhum dos canais de televisão, do pleno entendimento entre 100 jovens estudantes de música, que por sua vez se entenderam perfeitamente com o pianista russo Boris Berezovsky, entendendo-se todos estes com o maestro alemão Ernest Schelle, durante o magnífico concerto que se realizou no passado dia 24 de Setembro no grande auditório do Europarque, em Santa Maria da Feira. Nem sequer um ensaio! Um concerto mesmo!
No primeiro caso, o noticiado, os protagonistas do desentendimento são jogadores profissionais, pagos devidamente para o serem, colegas de equipa há tempo suficiente para se “entenderem”. No segundo caso, o não noticiado, os protagonistas são jovens estudantes das Escolas Profissionais de Música [Artes da Beira Interior da Covilhã, Artes de Mirandela, Espinho, Artística do Vale do Ave, Artes de Mirandela, Viana do Castelo e Madeira], com idades compreendidas, na sua grande maioria, entre os 15 e os 18 anos, que em apenas 10 dias de trabalho conjunto, mostraram a uma plateia de cerca de 1400 pessoas, composta em grande parte, também, por jovens, como é possível um desempenho de nível profissional, quando ainda se é estudante.
Não mereciam uma notícia nos telejornais das oito da noite, quer os que se entenderam no palco, quer os que entenderam, na assistência, a sua música? Não merecia ser notícia o pianista Boris Berezosky, Medalha de Ouro na edição de 1990 no Concurso Internacional Tschaikovsky de Moscovo?
Estou certa que se tivesse havido algum desentendimento, teriam sido notícia uns e outros, embora a sua actividade principal não passe pelo futebol.
Realmente, num país onde se diz tão mal da educação em geral, onde nos habituamos a ver, nos noticiários, as desgraças tratadas até à exaustão, onde só falta conseguirem entrevistar o morto, onde qualquer contratação de um jogador de futebol é notícia de abertura, onde um contador de anedotas de gosto duvidoso atinge o estrelato, que interesse pode ter uma orquestra de jovens estudantes de música que executa maravilhosamente o Concerto nº1 para piano em si menor de Tschaikovsky e a Sinfonia Fantástica de H. Berlioz?
Que interesse pode ter uma plateia de jovens que escuta silenciosamente tais obras?
Que interesse pode ter o rigor do trabalho dos directores e professores destas escolas, que permite aos seus alunos, em apenas duas semanas após o início do ano lectivo, serem capazes de nos comover com um concerto de tão elevada qualidade?
Não dá vontade de dizer aos “miúdos” que simulem uns “desentendimentos”, arremessando ao ar uns violinos no final do concerto, arrancando umas cadeiras do auditório, insultando os dirigentes do Ministério da Educação presentes na plateia?
Seria notícia, não seria? Já estou a imaginar: “jovens em fúria destroem instrumentos musicais no final do concerto do 5º estágio das escolas profissionais de música” ou “Jovens insultam Secretários de Estado no Europarque”. Era garantido, não era? Não, não dá vontade. Dá vontade de os aplaudir até doerem as mãos. Dá vontade de os apoiar. Dá vontade de assistir, no próximo ano, ao Concerto do 6º Estágio da Orquestra APROARTE – Associação Nacional do Ensino Profissional de Música e Artes, com ou sem notícia nos telejornais das oito da noite.
Afinal, com ou sem notícia, estes jovens existem, estas escolas existem.
O problema não está no facto deste evento não ter sido notícia, o problema está no facto de ser notícia um “desconcerto” futebolístico entre dois protagonistas de um clube, em detrimento doutros acontecimentos, como por exemplo o “concerto” musical entre dezenas de jovens alunos de 6 escolas profissionais de música, um pianista de renome mundial e um maestro de origem alemã apaixonado pelo trabalho destes “miúdos” portugueses.
O problema é que apesar dos convites dirigidos à comunicação social para a cobertura do evento, e da divulgação feita na imprensa, quem não esteve lá, não teve notícia.
Não teve notícia duma coisa boa que se faz em escolas do meu país!

28 de Setembro de 2004





Concerto para Piano nº 1 [3º andtº] de Tchaikovsky
Solista - Boris Berezovsky
Maestro - Jean-Claude Casadesus
Orquestra Nacional de Lille


Com janela de vídeo, porque além de gostar imenso de ouvir Boris Berezosvky gosto outro tanto de o ver tocar.

Imagens - Recortes de Fotografias de Concerto. TINTA AZUL. 29.06.08

9 comentários:

cristal disse...

Já me puseste a ir fazer o "zapping" dos telejornais que é coisa que, em nome da minha boa saúde mental não faço habitualmente... Mas creio que vai ser exercício absolutamente inútil porque a cultura e tudo aquilo que lhe diz respeito não tem importância nenhuma para as audiências deste nossos trustíssimos canais... Oxalá me engane mas hoje, como há 4 anos, é capaz de ficar, tão esquecido como sempre, o bom trabalho de quem bem trabalha... Só seria notícia se fosse "escândalo"...

ROSA E OLIVIER disse...

Lindo!...e per te

"te amo em silencio
e só o silencio sabbe."

baci mille.

Tinta Azul disse...

Na RTP N já foi notícia os 1001 músicos, ainda que no final e ligeirinho...
:)

Tinta Azul disse...

ah...os 1001 músicos é em Lisboa, no CCB ...isso também conta para ser notícia.
:)

heretico disse...

pois é. das "coisas boas" não reza a história das televisões...

beijos

um Ar de disse...

Eu lembro-me de ler este texto!...
Muito bom.
De repente, que saudade!...
[Beijo...@]

mariam disse...

«tinta azul» uma das coisas que por vezes questiono é o seguinte, porque será que saindo todos-os-anos n jovens das faculdades, com cursos mais ou menos artísticos, ligados ao ramo das letras..e outros... acredito que inteligentes e sensíveis, concerteza, como é possível que no parlamento não se façam reflectir??!!! mudam os governos sucessivamente... e o panorama cultural, das artes... não muda quase um milímetro??!!! (atenção que não sou nenhuma "expert" na matéria, apenas questiono!)

é isso ... e para teres um filho a aprender guitarra clássica numa escola como deve ser, pagas € 145,00...

o que é que falha??!! o que é que falta??!!

boa semana
um sorriso amigo :)
mariam

mariam disse...

por mês :)

Justine disse...

Triste, este país governado por incultos! Vamos contudo equilibrando as coisas conforme podemos. Por exemplo, ouvindo a tua música...esplêndida:))