14/09/08

OUTONO

.


Folha ante folha,
anuncia-se devagarinho
cores de mel, avelã e vinho.

Com o olhar faço a recolha
da cor, depois saboreada,
anulando, em segredo,
a melancolia causada
pela noite que chega mais cedo.




Imagens - Fotografias. TINTA AZUL. 7.09.08

6 comentários:

Anónimo disse...

Que lindo...
passeei pelas outras postagens também.
Dá até gosto começar a semana assim.
Um abraço.

livia soares disse...

O comentário aí de cima é meu.
Não sei o que aconteceu, acabei postando como anônima...

Justine disse...

Tão lindo,não é? Até a melancola é doce...
Vou responder-te não tarda nada, lá no meu sítio, com o deus das uvas...:))

heretico disse...

"cores de mel, avelãs e vinho..."

cores que se abrem na polpa dos dedos. e nas papilas do (bom) gosto.

beijo

Duarte disse...

O teu poema fez-me recordar este meu poema...

:))

CREPÚSCULO DE OTOÑO

Días más cortos
Sol que desfallece
Árboles desnudos
Atardeceres rojos

Suave murmuro
Balada que mece
Tierra que estremece
Viento otoñal

Llueve detrás de los cristales
Se quema el ultimo leño
Nos cubre el manto negro
Bello crepúsculo de otoño.

Mas Camarena, 2000

mariam disse...

faltam horas, para ele chegar, mas já à uns dias ele se faz notar, de mansinho.~~~ Gosto do Outono ~~~.

um sorriso :)